Tendências de consumo para 2009

ter, 6 setembro , 2011

Diferentemente de alguns setores, que já sentem na pele a falta de liquidez do dólar, o canal de vendas de produtos de higiene pessoal e beleza tem sido alavancado nos últimos anos não só pela estabilidade da economia mas também pela ascendência da classe C

i86291

Diante da turbulência no cenário mundial, sobram incertezas. Ainda é cedo para prognósticos quanto ao desenrolar dos próximos meses, afirmam especialistas. Mas os horizontes para o pequeno varejo do setor de higiene pessoal e cosméticos (HPC) ainda se mostram promissores.

“A crise ainda não bateu no mercado brasileiro. O índice de confiança dos consumidores foi muito bom este ano”, analisa o coordenador do Programa de Administração de Varejo (Provar/Fia), Cláudio Felisoni. Segundo ele, o varejo cresceu em média 10% nos últimos 12 meses. O setor de cosméticos superou esse desempenho e a expectativa de expansão é de 14% ao ano até 2011, de acordo com o Euromonitor. Os números valem também para os pequenos pontos-de-venda, os mercadinhos de bairro, cujo crescimento tem superado o de outros varejos, ressalta o consultor da Vecchi & Ancona, Paulo Ancona.

Diferentemente de alguns setores, que já sentem na pele a falta de liquidez do dólar, o canal HPC tem sido alavancado nos últimos anos não só pela estabilidade da economia mas também pela ascendência da classe C. Essa parcela da população – 86 milhões de pessoas – ainda não relaciona diretamente os efeitos da crise mundial ao seu cotidiano, diz o professor da Fundação Getúlio Vargas e pesquisador do Centro de Excelência em Varejo da FGV-Eaesp, Maurício Morgado

Pelas próprias características sazonais do comércio, Felisoni acredita que o primeiro semestre de 2009 não repetirá o bom desempenho deste ano, com possibilidade de queda na liquidez. Para evitar problemas, o coordenador do Provar recomenda cautela nesse período. “O ideal é trabalhar com recursos próprios e fugir de financiamentos a juros altos”, aconselha. Ele também orienta os PDVs a fazerem uma boa análise da rotatividade dos produtos e do sortimento, buscando reduzir custos operacionais.

O superintendente da Associação ECR Brasil, Claudio Czapski, vislumbra boas perspectivas. Ele recomenda prestar atenção ao movimento dos clientes e oferecer novas marcas, se necessário – principalmente em categorias nas quais a fidelidade é baixa e, portanto, prevalece o valor. O quesito preço também poderá ganhar mais peso na disputa com as grandes redes de supermercados, que levam vantagem por ter maior poder de negociação junto aos fornecedores.

Confira as tendências para cada categoria
CABELOS
Em alta
o Cremes de pentear.
o Suavidade da fragrância.
o Laquê, pomada e leave-in modelador de cachos. 

PELE
Em alta
o Hidratação associada ao bem-estar.
o Ingredientes naturais (biodiversidade), com pouca química, vitaminas, proteção solar e
rápida absorção.
o Produtos anti-idade.
o Óleos essenciais.

MAQUIAGEM
Em alta
o Função multiuso (rímel com vitamina, sombra com filtro solar, pó facial hidratante, batons aumentadores de volume dos lábios, esmalte com tratamento).
o Embalagens pequenas para carregar na bolsa.
o Produtos com proteção solar.

PERFUMARIA
Em alta
o Produtos naturais e orgânicos, para pele sensível e eco-produtos.

Fonte: Caderno de Tendências 2008/2009, da Abihpec.

i86292

Para enfrentar os desafios, inovar pode ser a resposta. “É um exercício de percepção constante dos desejos e necessidades dos clientes, que nem sempre são claros e raramente verbalizados”, ressalta Maurício Morgado. Como auxílio nessa tarefa, apresentamos as principais tendências de consumo para o setor:

1. Tudo para facilitar a vida
As decisões de compra das famílias estão cada vez mais nas mãos das mulheres. Atualmente, elas trabalham fora, cuidam da família e chefiam 31% dos lares. “Com o tempo dividido entre tantas atividades, a palavra-chave para compras no varejo agora é conveniência”, afirma Maurício Morgado. “Tudo indica que o auto-serviço vai continuar em alta, já que agiliza a vida do cliente”, diz. E com a crescente complexidade dos shoppings, o pesquisador da FGV arrisca um retorno das saudosas lojas de departamentos “full-service”, como Mappin e Mesbla, movimento que já ocorre nos EUA. No canal HPC, isso parece explicar porque o crescimento das vendas de mercadinhos de bairro superou o de outros varejos, de acordo com pesquisa Abihpec/TNS Interscience. Eles conseguem reunir proximidade, conveniência e compras mais rápidas. Da mesma forma, a indústria intensifica os lançamentos de produtos em embalagens menores. Mais práticos, facilitam a portabilidade.

i862932. Praticidade com mult ifunção
Produtos com benefícios básicos estão perdendo mercado, de acordo com o Caderno de Tendências 2008/2009, lançado em setembro pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) em parceria com o Sebrae e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). De acordo com o estudo coordenado pela especialista em marketing para cosméticos, Rose Ghachache, a ordem é oferecer itens com funções multiuso, que facilitam os cuidados pessoais de forma prática, como o rímel com vitamina para os cílios, a sombra com filtro solar, o pó facial hidratante, batons que aumentam o volume dos lábios e esmaltes com tratamento para as unhas.

3. Foco em saúde e bem-estar
No Brasil, estima-se que a população com sobrepeso gire em torno de 40% do total de habitantes – um índice inquietante. Nos Estados Unidos, a preocupação é ainda maior: 66% da população está obesa ou acima do peso. Uma resposta marcante do varejo norte-americano a essa tendência é a rede de 270 supermercados Whole Foods, que só vende produtos orgânicos. Faturou US$ 6,6 bilhões no ano passado. “Você consegue imaginar um supermercado do tamanho de um Pão de Açúcar que não vende Coca-Cola ou Pepsi-Cola? Isso é Whole Foods”, diz o professor Maurício Morgado. No setor de cosméticos, esse movimento se traduz em artigos com ingredientes naturais e orgânicos – que já correspondem a 16% do mercado HPC, de acordo com a Abihpec.

4. Consumidores mais maduros
Pessoas acima de 50 anos estão adotando hábitos mais saudáveis e dedicando mais tempo ao lazer. Esses consumidores geralmente têm maior renda. “Já criaram os filhos, provavelmente quitaram suas casas e, nesse estágio da vida, podem se dar a certos luxos”, explica Maurício Morgado. Produtos mais sofisticados, com ingredientes naturais e alta tecnologia – como cremes faciais e corporais, além de produtos SPA Home – são ideais para esse grupo, aponta Rose Ghachache. Também cabem itens antimanchas, clareadores e filtros solares específicos.

5. Combinações inesperadas de produtos
A evolução tecnológica está mudando vários conceitos, como a noção de espaço, alterando comportamentos, o que se reflete até mesmo na utilização conjunta de produtos antes completamente dissociados: “Um minigloss pode estar preso na alça do seu celular ou seu perfume favorito em um pingente, que também poderá trazer um pócompacto para retocar a maquiagem”, exemplifica a autora do livro Desejos Contemporâneos (Ed. GS & MD, 160 páginas, R$ 48,20), Beth Furtado. Portanto, aumenta a possibilidade de surgimento de concorrentes do setor de cosméticos antes considerados improváveis. Esses produtos encontram terreno fértil entre pessoas que moram sozinhas, público cujo consumo vem crescendo uma média de 6% ao ano, de acordo com dados do IBGE.

6. Busca por aconch ego e individualidade
A correria do cotidiano e os constantes deslocamentos em um trânsito caótico, provocam efeito contrário, levando as pessoas a buscar aconchego, a sensação de estar em casa. Isso explica o sucesso de produtos SPA Home. Seguindo essa tendência, hotéis já customizam os quartos para seus hóspedes habituais, equipando o minibar e renovando a decoração de acordo com o gosto pessoal de cada um. Além disso, consumidores mais sofisticados e informados começam a ter gostos e necessidades bem específicos, fazendo com que novos conceitos sejam desenvolvidos pensando em grupos cada vez menores de clientes. No setor de cosméticos, essa hipersegmentação é praticamente uma realidade.

Anote na Agenda

Abihpec www.abihpec.org.br
ECR Brasil www.ecrbrasil.com.br
Maurício Morgado www.mauriciomorgado.com.br
Provar/Fia www.provar.org
Vecchi & Ancona www.vecchiancona.com.br

{jathumbnail off}