Cesta feminina

ter, 6 setembro , 2011

Praticidade, multifuncionalidade e preocupação com a saúde são alguns dos quesitos mais procurados pelo público feminino no momento de comprar produtos de higiene pessoal e beleza

i103597

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados no estudo Síntese de Indicadores Sociais 2007, a população brasileira, em 2006, somava 187,2 milhões de pessoas, das quais 96 milhões eram mulheres, entre 1996 e 2006, o número de mulheres responsáveis pelos domicílios aumentou de 10,3 milhões para 18,5 milhões. Alguns fatores influenciaram esse aumento, entre eles a maior participação delas no mercado de trabalho e, consequentemente, sua maior contribuição no rendimento familiar, o que se reflete em um maior poder de compra.

Por isso, justifica-se a aposta maciça da indústria de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos (HPC) em desenvolver produtos para o universo feminino. Produtos esses que têm ganhado cores, texturas, aplicadores, embalagens e cosmeticidade específicos para se adequarem às novas necessidades da mulher moderna.

O gerente de atendimento a varejistas da Nielsen, Olegário Araújo, esboça algumas das características que devem sobressair nos lançamentos do setor de HPC. “Como temos menos tempo, a praticidade se torna fundamental. Nesse contexto, os produtos que tendem a conquistar espaço estão relacionados à praticidade (economia de tempo) e à melhoria da saúde e aparência. Quanto mais um produto conseguir convergir as diferentes tendências, mais chances terá de conquistar um espaço junto ao consumidor”, diz.

De acordo com o especialista da Nielsen, analisando a evolução das categorias, especialmente nos anos de crise, observase que os consumidores tendem a optar por marcas com médio e baixo posicionamento de preço. “O varejista precisa colocar à disposição diferentes opções de preço e não desconsiderar as marcas de posicionamento premium, mesmo nas épocas de crise econômica. Assim que a confiança do consumidor é reconquistada, ele tende a migrar novamente para essas marcas”, explica Araújo, complementando que o ideal é o varejista conhecer o público-alvo do estabelecimento e procurar adequar o sortimento disponível a essa realidade.

Perfil dos consumidores
No caderno de tendências da Abihpec, os consumidores foram divididos por perfil e, em todos eles, as mulheres estão inclusas. Conheça cada um deles:

Tendência 1: o avanço das mulheres no mercado de trabalho
Para as mulheres que fazem parte da fatia economicamente ativa da população, trabalham e conciliam a família e os cuidados com o lar, a praticidade é a ordem da vez. Portanto, os produtos que mais devem sobressair são os multifuncionais, fáceis de levar na bolsa e com embalagens para viagens. “O fato de termos mais mulheres trabalhando eleva o consumo de fraldas, cosméticos e produtos para o bem-estar da família”, afirma Rose.

Tendência 2: mais casais jovens sem filhos
Para as mulheres que se encaixam nesse perfil, que cresce dentro da realidade brasileira, os produtos que podem ser usados pelo casal são os mais atraentes. Destacam-se as embalagens duplas, e os artigos largamente procurados são óleos temáticos de massagem, fragrâncias, cremes corporais e produtos da linha spa home.

Tendência 3: cresce o número de pessoas morando sozinhas
Nesse perfil há tanto homens quanto mulheres. Geralmente, essas pessoas gostam de tecnologia, conforto e praticidade. Ainda de acordo com a pesquisa da Abihpec, o consumo delas cresce, em média, 6% ao ano. São responsáveis por 40% do aumento das vendas de produtos práticos e em porções individuais. Para essas pessoas, as tendências estão em produtos com embalagens e apelos tecnológicos e futuristas, como cremes anti-idade com fórmulas inovadoras e maquiagens diferenciadas.

Tendência 4: mais consumidores de meia-idade com alta renda
Homens e mulheres na faixa dos 50 anos cada vez mais adotam um estilo de vida ativo e saudável. Muitos deles são empreendedores, têm uma vida estável e usufruem de produtos com qualidade, deixando o fator preço em segundo plano. Esse público leva em conta produtos mais sofisticados, de alta tecnologia, feitos com ingredientes naturais e que tenham resultados comprovados.

Tendência 5: uma vida mais longa e melhor
A idade cada vez mais avançada da população brasileira se comprova por números. Estimativas indicam que existem no País mais de 19 milhões de pessoas acima de 60 anos. Em 2020, esse grupo deve passar para 30 milhões; em 2050, para 64 milhões. Para esses homens e mulheres, destacam-se produtos super-hidratantes (faciais ou corporais), enriquecidos com vitaminas e oligoelementos, linhas capilares anti-idade, fragrâncias com notas tradicionais, tons de chipre e florais (no caso das mulheres), produtos antimancha, clareadores e protetores solares específicos para a terceira idade.

Categorias mudam para atender novo perfil feminino

O I Caderno de Tendências 2008/2009, desenvolvido pela Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), aponta formatos de produtos que devem agradar às mulheres na próxima temporada. Entre os destaques, as tendências e as preferências, estão: cremes para o corpo, para o rosto e anti-idade; protetores solares; artigos de perfumaria; xampus, condicionadores e cremes de tratamento para cabelos; tintura; e maquiagem.

i103601Como garantir um bom atendimento

Para atender as mulheres, de acordo com especialistas, ter bons produtos, ótimos preços, bom ponto de venda, boa distribuição (praça) e muita propaganda ou muitas promoções (os tradicionais quatro ‘Ps’ do marketing) não é mais suficiente. “Pesquisas apontam que 85% das compras são decididas dentro da loja, o que tem levado muitas empresas a aumentar o investimento em merchandising para garantir que todo o esforço não seja perdido naqueles segundos finais que o cliente leva para decidir se comprará o produto da loja em que está ou o da concorrente”, explica a cosmetóloga Rose Ghachache, também consultora de marketing e comunicação.

Vale, então, apostar na boa exposição dos produtos . A consul tora fornece as seguintes dicas :

  • Facilite a circulação dentro da loja (corredores mais largos).
  • Apresente seções bem definidas (se possível, com prateleiras mais baixas, permitindo uma vista geral da loja).
  • Crie um ambiente agradável selecionando bem as cores da loja, o uniforme dos atendentes e as imagens.
  • Precifique legivelmente. 
  • Deixe espaço para o trânsito de deficientes. 
  • Forneça informações sobre produtos, para que não seja necessária a presença de um vendedor. 
  • Disponibilize estacionamento para os clientes.

Araújo acrescenta, ainda, que o gerenciamento por categorias é fundamental, considerando que o objetivo da ação é oferecer soluções aos shoppers. “Ao agrupar produtos afins, facilita-se a acessibilidade dos consumidores a soluções”, esclarece o executivo da Nielsen.

A gestão de estoques também é fundamental no processo. “Imagine uma mulher sem tempo que passa na loja do bairro para comprar o xampu preferido depois de um dia estafante e não encontra o produto? Essa ausência pode criar insatisfação e levá-la a mudar de loja, especialmente em categorias de higiene e beleza”, aler ta Araújo.

i103600

Anote na Agenda
ESPM www.espm.br
Popai www.popaibrasil.com.br
Provar www.provar.org

{jathumbnail off}